“Sonhos que sonhei”

Sonhei em viver como os personagens de alguns filmes, rebelde sem causa com o mundo e comigo mesmo; curtindo a vida erradamente e vivendo a sexualidade longe dos planos de Deus – às mulheres: peço meu perdão, pois, eu as via como objetos – não queria compromisso com ninguém.

Também era um grande blasfemador de Deus, pra mim Ele não exista e tampouco era importante; de sua santa Igreja e da Santíssima Virgem Maria, que para mim não passava de meretriz, mentirosa e traidora (perdão Mãe Santíssima).

O quanto fui idiota, imbecil, burro, insignificante e pequeno. Vivia sonhos e um mundo pequeno do pecado e consumir-me em mim mesmo. O quanto meu mundo era pequeno e eu, nem se fala. E ainda me achava “o tal”.

Foi quando Deus realizou todos os sonhos que eu não tinha. Sonhos que nunca sonhei, ou passaram por minha mente e vontade. Estes sonhos realizados por Deus em minha vida se realizaram e, se tornaram meus também.  Deus me deu uma esposa fiel amável, e a vi muito como personificação de 1Cor 13. Tudo ela sofreu, tudo ela suportou e tudo ela perdoou. E, o mais importante, uma mulher de Deus, que transborda-O.  Deu-me filhos lindos, cheios de saúde, maravilhosos e que me amam muito, mesmo com meus infinitos defeitos.

Uma família – com defeitos é claro – mas, é minha família, a que Deus me confiou. Através dela conheci a Deus e continuo a conhecer a cada dia.

Mesmo eu sendo mais defeituoso do que virtuoso, cheio de falhas e imperfeições, nem minha esposa e meus filhos me querem longe deles. Assim também é Deus comigo e minha família. Ele não nos quer longe dEle, e pode crer, o mesmo ocorre também contigo: Ele o (a) quer perto dEle.

Graças à intercessão da Virgem Maria – minha mãe e de minha família – eu conheci a Jesus, o Cristo Senhor, meu Salvador! Por ela me veio o Senhor Jesus e por ela quero ir a Ele. Meu Senhor e meu Deus, eu creio, não o suficiente, mas aumentai minha fé. Pois quero ir onde Você quiser e, por favor, continue realizando os meus sonhos e os Seus sonhos em minha vida. Os que eu ainda não tenho, portanto, que sejam para minha conversão e para honra e glória de Seu Nome.

Como São Francisco de Assis, que eu ame a pobreza e viva verdadeiramente o “creio em Jesus Cristo”!

Como se vê, eu sempre desrespeitei a Deus e ao corpo que Ele me deu. Desrespeitei também os corpos daquelas  “pessoas-objetos” para mim. Desrespeitei muitas vezes a minha outra metade e meu socorro (Gn 2,18-24), minha irmã-esposa.

O quanto profanei o amor e o sexo. Graças à Deus, ao Beato João Paulo II e a Teologia do Corpo, ao Padre Paulo e ao apostolado da Teologia do Corpo eu descobri algo novo. Um mundo sacramental que é o nosso corpo, um templo de oração. O próprio sexo criado por Deus, no sacramento do matrimônio é um louvor ao Amor, um sacramento de vida – este sacramento o demônio com seus agentes quer destruir, assim, transformando em morte aquilo que gera vida.

Família: uma analogia da Santíssima Trindade, comunhão e comunidade com pessoas distintas e um só amor. Portanto, estar em Deus é estar na sacramentalidade do outro, lembrar-se que na outra pessoa, antes dela mesma, Deus habita.

Tenho muitas seqüelas, feridas e tentações de uma vida longe de Deus; uma vida desregrada na carne. Feridas causadas por mim mesmo. E essas feridas vão até mesmo minha alma. Feridas sendo curadas pelas obras de Deus. Em especial uma obra de Deus de  grande importância, pela qual me apaixonei, aprendi a amar, e que se chama “Teologia do Corpo”.

Aprendi a enxergar Deus no sacramento da união de dois corpos, união tão intima e sagrada, complemento de um amor entre um homem e uma mulher, gerando uma terceirapessoa . Ah, se todas as pessoas enxergassem o quanto o seu corpo por inteiro é sagrado, o quanto o sexo é sagrado, o quanto a família é sagrada, o quanto a sexualidade é sagrada, o quanto a alma é sagrada, o quanto a fidelidade é sagrada, o quanto a castidade é sagrada.

E percebi também que a vivência de alguns do celibato pelo Reino de Deus é também linda, maravilhosa e fecunda em filhos espirituais, assim como o matrimônio dentro dos planos de Deus é excelente e lindamente fecundo. Deus nos pensou para sermos bons, para viver no Amor. Somos seres pensados por Deus  para uma finalidade, o Amor. Às vezes ou quase sempre, a minha vontade não é o melhor pra mim, e sim o que Deus pensou. Imaginemos um celular?! Quem o pensou, pensou para aquelas funções e não para ser um bote, ou um meio de transporte, ou uma bola para se jogar futebol. Muito menos o homem foi feito para viver o que lhe dá vontade. Deus nos pensou, e pensou perfeitamente.

Louvado seja Deus por tudo, por tudo mesmo que já aconteceu comigo. E espero sempre fazer a vontade de Deus, e ser aquilo que Ele pensou pra mim!

Salve Maria!

Que Deus lhe abençoe e Jesus seja nosso guia!

 

M.C.

Fortaleza-CE

Deixe um comentário