Testemunho em formato de poema de uma cursista da Teologia do Corpo sobre vícios:

o vício é uma criança mimada
que sempre quer mais
e nunca se satisfaz

universo paralelo
que parece não ter fim
aqui dentro de mim

o centro da vontade
se abala facilmente
castigando uma pobre mente

luta sem trégua
entre o bem e o mal
que parece sem final

para aliviar esse sentimento
um segredo precisa ser dito
mas se cala por um medo infinito

por receio de represálias
o silêncio se torna a única opção
mas extravasado por meio de uma simples oração

à beira de uma crise existencial
correndo na contramão
onde estará a solução ?

gritando a plenos pulmões
em busca de alguém que ouça sem julgar
algo difícil de contar

 

(autoria preservada)

Deixe um comentário