O verbo se fez carne e habitou entre nós

em Blogs | 2

Essa afirmação bíblica é muito importante para a Teologia do Corpo e também para o Natal, festa que se aproxima e que não raramente acabamos nos esquecendo o que se comemora e qual o significado dessa comemoração!

O corpo entra na Teologia do Corpo para revelar-nos visivelmente o mistério invisível de DEUS!

E esse mistério tem como inicio de revelação o nascimento de Jesus: “o verbo se fez carne e habitou entre nós.”(Jo 1,14) A palavra de DEUS, presente desde toda a eternidade, se faz corpo e habita entre nós! E habitou entre nós para restaurar aquilo que se perdeu após a criação, aquilo que é nossa primeira vocação: o amor!

Nos diz o catecismo da igreja católica: “Deus é Amor e o Amor é o primeiro dom, que contém todos os outros.”i E o catecismo diz mais: “Deus, que criou o homem por amor, também o chamou ao amor, vocação fundamental e inata de todo o ser humano. Porque o homem foi criado à imagem e semelhança de Deus que é amor.”ii

Vejam que bonito: nascemos POR Amor e PARA o Amor, “vocação INATA de todo o ser humano”, nos ensina o Catecismo!

Mas qual amor, já que hoje essa palavra está tão desgastada? Hoje em dia é comum “amarmos” as coisas: o chocolate, o cachorrinho, o papagaio, etc!

Jesus mesmo nos ensinou: “amai-vos uns aos outros como Eu vos amei”! É um amor de doação, de comunhão! Como lembra o Beato João Paulo II “Comunhão das pessoas significa existir num recíproco ‘para’ numa relação de recíproco dom”iii, lembrando que na criação, DEUS quis homem e mulher para viverem esse amor, essa mutua doação!

Mas ao longo da nossa existência esse amor foi se perdendo; por isso Jesus veio ao mundo, para resgatar nossa vocação fundamental e inata: amar, como Jesus amou!

E com a proximidade de mais um Natal, de muitas luzes artificiais e muito comércio, podemos cair no risco de nos afastarmos dessa verdadeira razão de comemorarmos essa data tão importante: “o verbo se fez carne e habitou entre nós.”

O Papa bento XVI nos alerta também nesse sentido de não desviarmos nossos olhares, de modo especial nesse tempo do Advento: “O cristão é convidado a viver o Advento sem deixar-se distrair pelas luzes, mas sabendo dar o valor correto às coisas, fixando seu olhar interior sob Cristo. Se, de fato, perseveramos “vigiantes na oração e exultantes na glória”, os nossos olhos serão capazes de reconhecer Nele a verdadeira luz do mundo, que vem clarear as nossas trevas.”iv

Por isso esse momento do Advento é de fundamental importância para nós, para refletirmos a verdadeira Luz, que habitou entre nós pois “o homem é por natureza religioso, é homo religiosus, como é homo sapiens e homo faber: “O desejo de Deus é um sentimento inscrito no coração do homem, porque o homem foi criado por Deus e para Deus.”v

Fomos criados por Ele, por amor e para o amor e no natal é preciso resgatarmos essa verdade, é momento de refletirmos nossa existência pois “o homem tem em si uma sede de infinito, uma nostalgia da eternidade, uma busca pela beleza, um desejo pelo amor, uma necessidade de luz e de verdade, que o impulsiona para o Absoluto; o homem tem em si o desejo por Deus.”vi

Somos sedentos de DEUS, nascemos por Ele e para Ele e esse momento do Advento é hora novamente de refletir: o verbo se fez carne e habitou entre nós!

Que estejamos abertos para a verdadeira Luz que veio para nos tirar das trevas!

Que estejamos abertos para resgatarmos a verdadeira vocação das nossas existências que é Amar!

Que possamos nos espelhar em Maria, aquela que com o seu sim soube se esvaziar de si e deixar que a vontade de DEUS fosse feita; com o seu sim soube por em prática essa primeira vocação inata de todo o ser humano: o Amor; e com o seu sim aconteceu o maior evento de todos os tempos, em todo o cosmos e que nos permite hoje nos transformar por esse acontecimento fabuloso: “o verbo de DEUS se fez carne e habitou entre nós”

Um feliz e santo natal e um 2012 repleto de busca pela prática dessa vocação fundamental e inata de todos nós: Amar!

Marcelo Pastre
_
_
Marcelo e sua esposa, Viviane
_
Referências:
i – (CIC 733)
ii – (CIC 1604)
iii – Catequese sobre Teologia do Corpo de 09/01/1980
iv – Bento XVI – Angelus 11/12/2011 – http://noticias.cancaonova.com/noticia.php?id=284564
v – Bento XVI – Catequese sobre oração 11/05/2011 – http://noticias.cancaonova.com/noticia.php?id=281667
vi – idem.

2 Responses

  1. muito legal isso! gostei muuuuitooooooooooo……….

  2. Anatalia Sales Pinto

    É muito importante lembrar-mos de que a presença de Jesus é viva e precisamos sentir a força do amor, a força do chamado que só encontramos com a entrega sem reservas e sem medo de amar.

Deixe um comentário